A palavra “fado” significa, literalmente, “destino”. Este é o género musical português mais conhecido em todo o mundo, embora as suas origens sejam algo difíceis de precisar. Consegue-se seguir o fado até 1820, mas, a partir daí, não existem grandes registos. A origem deste género está assodownload-36ciada aos bairros lisboeta de Alfama, da Mouraria e do Bairro Alto, e a primeira fadista de renome foi Maria Severa (1830).

O fado é sempre associ
ado a ritmos melancólicos e tristes, ligados ao mar e à vida dos trabalhadores mais pobres. Era a música do proletariado, principalmente daqueles associados ao mar: marinheiros, trabalhadores do porto, peixeiras, … As suas canções transmitem invariavelmente sentimentos de resignação e de tristeza, sendo bastante emocionais: o expoente máximo da “saudade”, esta palavra exclusiva do português, que explica a ausência e a perda, tão típicas deste povo.

Alguns dos cantores mais conhecidos no cultivo do género são: Amália Rodrigues, Carlos do Carmo, Mariza e Dulce Pontes. No entanto, nos últimos anos, o fado recebeu um novo alento por parte de novos fadistas, como: Ana Moura, Mafalda Arnauth, António Zambujo, Carminho e Gisela João. O fado passou a ser classificado como Património da Humanidade, pela UNESCO, em 27 de novembro de 2011.

Tipos de Fado

Convencionou-se que existem dois principais tipos de fado mais populares:

  • Fado de Lisboa: é o tipo de fado mais antigo, sendo Amália Rodrigues o seu expoente máximo;
  • Fado de Coimbra: é o tipo de fado mais tradicional e está associado aos estudantes e à Universidade de Coimbra.

Desempenho

Habitualmente, para se cantar o fado, o fadista faz-se acompanhar por uma ou duas violas. Nos últimos anos, abriu-se espaço para a introdução do piano, do violino, do acordeão e de outros instrumentos, o que levou a uma aproximação do fado a outros géneros musicais populares.